Felicidade

Tags

, , , , , ,

Sou muito feliz por estar com você.

Por nos entendermos,
Por nos compreendermos,
Por estarmos crescendo juntos,
Por gostarmos das mesmas coisas,
Por às vezes nos descobrirmos com as mesmas manias; e os mesmos ideais.

 

Porque você me ajuda,
Porque você me respeita,
Porque você me corrige,
Porque você me completa.

 

Quando você me abraça,
Quando você me observa,
Quando você me beija,
Quando você me bate, belisca ou provoca (faz parte…)

 

Dá saudade ficar longe de você,
Dá alegria compartilhar dos meus dias,
Dá vontade de permanecer ao seu lado,
Dá um sono receber seu cafuné (hihihihi)

 

Há muito mais coisas,
Há muito mais sensações,
Há muito mais sentimentos,

 

Que as palavras não conseguem “dizer”,

 

Sou muito feliz por estar com você.

Recomeço

Tags

Vagos, dispersos, calados.
Meus olhos se calam inertes à dor
Silêncio intempestivo, de um pensar oprimido
Enquanto o tempo se arrasta, anseio abafar minha dor

Tentei tomá-la por castigo, a fim de dar-lhe um sentido
Mais um engano cometido
Por quem não sabe o que é o amor. Nunca amou.

Julguei tê-lo aprendido
E na ilusão de meu ego ofendido
Forjei meu despreparo na vontade, no querer
Não pense ser fácil reconhecer. Não sei

Agora me desfaço, me entrego, me encorajo
A descobrir-me obtusa no saber, amar
Tal sentimento que me inquieto a dominar, sentir. Viver

E eu irei viver.

Ato

Tags

, , , , , ,

Deitada ao seu lado eu me encontro
E sua pele toco e sinto,
Seu corpo, frágil e despido
Me convida a tomá-lo, sedento e aquecido

Entrego-me à sua posse
Domínio completo e vontade
Me ergues num só movimento
E seus olhos, invadem minhas partes

Invade-me…

Vejo o sorriso brotar em seus lábios
Me deseja e sabe como conseguir…
E enquanto suas mãos nos conduzem ao ápice
Num beijo apaixonado reténs meu gemido

Adoro essa parte…

 E quando o ato se acaba,
Me envolve com um dos braços,
Me deita em seu peito,
E sussurra “te amo”…

Faltam-me termos pra descrever o que sentimos e
explicar o sentido disto pra nós…

Também te amo querido.

 

(ao nosso ato de amor)

Saudade que vivo

Tags

, , , , , ,

Saudade de tais dias
Em que eu lhe sentia
E ao teu encontro corria
Tal menina apaixonada

A suspirar eu vivia
Em teus braços sorria
Nada além eu queria
da ventura de ser amada

Recordo-me do afago sentido
Pelo amado com quem tanto sonhava
E hoje que o tenho comigo
O dedico meu amor e minh’alma

A saudade que hoje eu sinto
É o reflexo da união consumada
Do amor pleno vivido
Na ausência ou presença esperada

Decência e confiança

Tags

, , , , , , , , , ,

Às vezes é melhor não ter olhos,
não ver
Manter-se sob o véu da ignorância
para crer
No amor desmedido

Pois tantas são as armadilhas
a formar o covil traiçoeiro
onde o desejo, é fiel provedor

Quiçá eu desista da honra,
da decência
pelo insalubre teto disponível
ao labor moral em que me encontro
Que roubou-me a inocência
Que me fez pedir clemência
Pela sobrevida da ética conquistada
Pois nem esta foi poupada

E então, no decorrer dos dias, no tempo
Procuro meu alento na fiel consciência

“Não temas!
Teu futuro é brilhante,
como a esfera de tua alma
Se guarde,
pois será eterna a confiança em ti
daquele que há de amá-la
E teus princípios são a fronte de teu ser
E o amor, este nunca se abala,
infinito é teu poder”

Eu escolho amar, seguir, viver

Por mim e por você

Espera

Tags

, , , , ,

Fujo de mim há dias
No labirinto das ruas
Sob a penumbra nas praças
No desalento do vento
Na ausência do ar

E em passos largos de pensamento
Corro do meu medo
De manter minha alma em perpétuo cativeiro
Buscando por quem me libertasse
Mas ele não veio

Me preenchem as dúvidas
Me consomem as incertezas
Minha mente não para
E percorro em círculos o caminho da vida

Ainda espero por ele

Que me encontre depressa, pois preciso parar
Já não tenho onde me esconder e não consigo continuar

Me ensine a viver

Desânimo em carta

Tags

, , ,

Já não sei o que será de mim
Por quê? Não vivo enfim.
Pois se está difícil respirar é porque
o viver, não é mais meu querer

E agora? O que devo pensar?
Fracassei, o sentido perdi
outra vez, vou querer desistir

A meu ver tudo é cinza, torpor
até meu amor, já não basta a ninguém
eu sei, só preciso admitir

Sou dispensável aqui
como em todo lugar
Sem ter a quem pedir, tampouco aonde ir
Me despeço sem lágrimas
(que não caem por mim)
tamanha indiferença me dedico

Caso me procure, não me encontre
Não desejo esperança do que não posso manter.

Em tempos de esquecimento

Tags

, , , , , ,

Em tempos de esquecimento eu me recordo
Do valor das conquistas
De sua companhia
Da entrega em meus versos
Do amor recebido
Nem que seja da forma, que eu não concorde

E consigo aprender, quão bom é lhe ter
Nas conversas amigas, no auge do dia
Na presença e conforto ou em seu abandono
Pra entender que sua volta, é meu apogeu

Vou dizer (de mim) que sou sua
Vem dizer (enfim) que és meu

E será este o dia em que o fim (que tivemos)
Nos será recomeço do que nunca esquecemos
De fazer da saudade e de nossa vontade
O nosso presente – inspirado em passado.